Missão e Visão

Missão: Identificar e avaliar as marcas que melhor caracterizam a instituição, definem sua identidade e indicam a responsabilidade social. Principais programas e processos que conferem identidade à instituição e melhor realizam suas finalidades e objetivos essenciais. Principais contribuições para o desenvolvimento da ciência e da sociedade. Características principais do clima acadêmico e psicossocial da IES.

Visão: Oferecer ensino de excelência sustentado pelo duplo compromisso com o desenvolvimento científico e tecnológico da região e solução dos problemas da comunidade na qual estará inserida.

Objetivos Institucionais

  • - Estimular o cientificismo e a reflexão.
  • - Formar recursos humanos em áreas específicas.
  • - Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos.
  • - Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional.
  • - Prestar serviços especializados à comunidade.
  • - Promover a extensão, apoiada na pesquisa, no ensino, com a participação da sociedade.
  • - Promover atividades que auxiliem a integração e a cooperação entre os setores produtivos, associações representativas e o município.
  • - Desenvolver sistematicamente avaliações internas de modo a buscar consonância com os objetivos propostos pelo sistema de avaliação externo.

Projeto Pedagógico do Curso de Teologia

Projeto Pedagógico do Curso de Administração

Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia

Plano de Denvolvimento Institucional

Diretoria

  • Diretora: Rosely Pereira Pontes de Oliveira
  • Secretária Geral: Juracy Gomes Pereira
  • Coordenadora Acadêmica: Hilgerly Gomes Alves
  • Coordenador do Curso de Teologia: Gerson Francisco de Arruda Júnior
  • Coordenador do Curso de Administração: Jarbas de Araújo Gomes
  • Coordenador do Curso de Pedagogia: Christiane Joyce Rocha de Moraes Alves
  • Coordenador de Marketing: Thalyson Pinheiro Gomes
  • Bibliotecária: Glória Valcácer Uchôa

Secretaria

A Secretaria é o setor responsável pela documentação sistemática da vida da faculdade em seu conjunto. Seu papel é o de proceder, segundo determinadas normas, ao registro:

  • - da vida escolar dos alunos;
  • - da vida funcional dos professores, dos técnicos e administrativos;
  • - dos fatos escolares

FATIN Sustentável

História de Igarassu

A palavra Igarassu, que deu origem ao nome da cidade é oriunda do tupi e significa: Igara = Canoa; Assu = Grande. Os historiadores acreditam que o nome teria vindo da exclamação de surpresa dos índios ao avistarem as grandes caravelas portuguesas.

Para Manoel da Costa Honorato, entretanto, o nome deriva “… de três palavras índias: Hi ou Ig= Água ou Rio; Guara= Ave aquática; e Açu= Grande” Desta forma, a palavra Igarassu significaria Rio dos Grandes Pássaros, em alusão as embarcações que demandavam ao Porto do Sítio dos Marcos, durante os primeiros trinta e cinco anos de nossa história.

A Cidade, segundo a tradição, foi fundada em 27 de setembro de 1535, após a vitória dos portugueses sobre os índios Caetés e por ordem do Capitão Afonso Gonçalves – que mandou erigir no local da vitória uma capela votiva consagrada aos Santos Cosme e Damião – hoje considerada a mais antiga do Brasil. Em 1516, entretanto, já os portugueses, através de Cristóvão Jacques, fundaram – no Sítio dos Marcos – a feitoria de Pernambuco, então um dos mais conhecidos ancoradouros do litoral brasileiro e significativo ponto de contato entre ameríndios e europeus.

A elevação à categoria de Vila, ocorrida em data não precisa, mas provavelmente no ano de 1564, criou os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, dotando a localidade de autonomia política, administrativa e econômica. Esses Três Poderes estavam todos concentrados na Câmara Municipal, e no subsolo funcionava uma penitenciária.

Em 1594 foi criada a freguesia dos Santos Cosme e Damião, conforme observa o professor José Antônio Gonsalves de Melo, nas notas do artigo “O Foral de Olinda de 1537″.

Em 1º de maio de 1632, sob o comando do Cel. Deiderick van Waerdenburch e guiados por Calabar, os holandeses atacam e saqueiam a vila, então a segunda mais importante da Capitania.

Nas lutas em prol da liberdade de nosso povo, diversos foram os filhos de Igarassu que se destacaram, dentre eles podemos citar: Bento Corrêa Lima, mártir de 1710; João Gonçalves Bezerra, revolucionário de 1817; Antônio Pedro de Figueiredo (COUSIN FUSCO), socialista utópico que defendia os ideais da Revolução Praieira e professor do Liceu de Artes e Ofícios.

Na Medicina, destacou-se o Dr. Cosme de Sá Pereira, um dos mais importantes médicos sanitaristas de Pernambuco e que conseguiu acabar com o CóleraMorbus no Recife, durante a epidemia de 1856.

Na religião, como destaques, podemos citar: Frei Ruperto de Jesus, Frei Feliciano de Mello, Pe. Paulo Teixeira, Pe. Antônio Jacome Bezerra e o Pe. Miguel Rodrigues Sepúlvida, um dos fundadores do Recolhimento do Sagrado Coração de Jesus.

Como titulares do Império, tivemos: Dr. Domingos Ribeiro dos Guimarães Peixoto – Barão de Igarassu; Dr. Manoel Joaquim Carneiro da Cunha – Barão de Vera Cruz; Epaminondas Vieira da Cunha – Barão de Itapissuma, Antero Vieira da Cunha – Barão de Araripe e Manoel Thomaz Rodrigues Campello – Barão do Rio Formoso.

D. Pedro II ao visitar a Vila em 05 de dezembro de 1859, em seu diário, anotou que a localidade não tinha “… nenhum futuro e só a estrada de Goiana poderá lhe dar alguma vida”.

Constituiu-se município autônomo em 28 de fevereiro de 1893, através da Lei Orgânica nº 52, tendo sido seu primeiro prefeito o Cel. Luiz Scipião de Albuquerque Maranhão.

A vila foi elevada à categoria de Cidade pela Lei Estadual nº 130, de 03 de julho de 1895.

Aos 26 de setembro de 1935, graças ao Projeto de Lei do então Deputado Mário Melo, a cidade de Igarassu foi considerada Monumento Público Estadual.

No dia 10 de outubro de 1972, visando proteger e resguardar o rico acervo existente em nossa cidade, o Governo Federal, através do IPHAN, tombou o conjunto arquitetônico da nucleação histórica, com uma área de 0,4 Km² (396.202 m²).